19 de novembro de 2006

Governo Frankstein do RS

Na campanha de 2002 para o Governo do Estado, fiz esta charge para uma publicação em apoio de campanha ao Tarso Genro, o Tarso a Traço. Ironizei a composição da aliança que sustentava a candidatura de Rigotto.
Revendo esta charge, bastaria substituir a cara do Rigotto pela da Yeda e ela estaria atualizadíssima. A História se repete...

Eugênio Neves - "rigofrank"

2 comentários:

Brisa disse...

Por quanto tempo será que estes monstrengos ainda sobreviverão, Cláudia? Virou praxe este consórcio de partidos se juntando contra o PT aqui no RS. E onde fica a fama de estado mais politizado? E, para completar, a barbaridade da fala do presidente do TJRS,hoje, dizendo em entrevista ao vivo na Band TV que o estado tem que dar o calote na União. Juro, já estou começando a ter vergonha de ser gaúcha. Bem, de tudo, vale ver que usas o teu talento artístico de forma tão apropriada. Parabéns! []s Re

Claudia Cardoso disse...

Oi, Re! Só uma coisa, o cartum é do Eugênio, não tenho estes talentos. :-)
DE fato, há muito tempo que deixei de acreditar nesta premissa de povo politizado. Talvez, seja aquele que mais goste de discutir sobre o assunto. Certa vez, num debate numa rádio comunitária, uma professora municipal de história , aqui de POA, comentou o seguinte: essa carcaterística gaúcha de bipolarizar as questões, como maragatos e chimangos, gremistas e colorados, petistas e anti-petistas, é típica de estado fronteiriço, ou seja, que tem presente os limites culturais (brasil/argentina/uruguai). Achei isso muito interessante. Penso que a mídia local explora muito bem isso, acirrando estas diferenças e indicando qual é o "melhor" lado a ser seguido. Uma lástima, porque está difícil vencer esta barreira. O nosso "post" sobre o que aconteceu na PUC sobre a tv digital(http://dialogico.blogspot.com/2006_11_01_dialogico_archive.html) dá bem esta medida. Abraço!