27 de abril de 2007

Adesivo que não desgruda!

No dia 6 de março de 2007, Zero Hora publicou uma charge do Marco Aurélio ofensiva à imagem da Caixa Econômica Federal. Houve reação por parte da associação de funcionários, do Sindicato e da Federação dos Bancários, que encaminharam ofício de protesto ao editor-chefe de ZH. Examinando o desenho, percebemos uma mensagem recorrente, sintetizada na palavra "mente". Não é a primeira vez, que o chargista faz uma menção indireta a adesivos com mensagens contra a empresa onde trabalha. Cabe, aqui, um pequeno histórico. Em 1999, durante a "Marcha dos Sem", a fachada do prédio da empresa, na Av. Ipiranga, foi completamente adesivada. Esta foi a primeira vez que a RBS se viu exposta publicamente. Isso parece ter causado um impacto tão grande que, agora, toda a vez que a Marcha dos Sem passa pela Ipiranga, a Brigada Militar faz barreira, impedindo a aproximação dos participantes (23/11/2003). Quatro anos mais tarde, esse adesivo e mais outros foram utilizados na famosa campanha de cancelamentos de assinatura em função da publicação de pesquisa eleitoral manipulada pelo IBOPE, que rendeu até carta aos ex-assinantes assinada por Nelson Sirotsky. O episódio foi tão mal digerido, que até o ex-funcionário Rogério Mendelski, "coincidentemente" demitido logo após o segundo turno das eleições de 2002, também tocou no assunto. Essas adesivações provocaram, sem dúvida, um abalo na credibilidade do Grupo RBS. Tanto é assim que toda a vez que surge uma oportunidade, o principal chargista da casa remete ao fato no seu trabalho.
Fotos: desejamos dar os créditos. Por favor, quem souber o nome do/a(s) fotógrafo/a(s), encaminhe-os ao nosso endereço eletrônico localizado ao lado.

4 comentários:

Lau Mendes disse...

Eugenio/Claudia, parece que a única coisa que parece desgrudar é à vontade de alterar a lei de concessões na comunicação. Muito pertinente o Dialógico divulgar o cadastro dos “comunicadores”do Brasil. No mesmo dia,25/04,ocorreu reunião da CCTCI/Comissão Ciência Tecnol.Comunic.e Informática com o ministro Hélio Costa,cfe. publicado no Agencia Carta Maior ontem. O que se percebe é o mesmo de sempre,a barriga cresce,e vai empurrando. Agora,pela pressão pública,a barriga recebe mais algum carboidrato com o nome de grupo de estudo para formular uma proposta de alteração geral na legislação das comunicações. Fico com a impressão que o Dialógico vai colecionar muita matéria com este assunto que já não se sabe mais se não desgruda ou não cola.

DANIEL PEARL disse...

O jornalista Luiz Nassif, em entrevista a Terra Magazine, acusou uma manipulação do câmbio em 1994/95. Procurados, FHC, André Lara Resende e Gustavo Franco não responderam à acusação. A Grande Mídia (Rede Globo, Rede Record, SBT, Veja, Época, Istoé, Estadão, Folha de São Paulo) se calou e continuará silenciosa para as gravíssimas denúncias de Nassif. Já o jornalista Arnaldo Jabor será processo pelo presidente da Câmara dos Deputados, Arlindo Chinaglia. Diante dos recentes acontecimentos, O Poder Judiciário num lamaçal até o pescoço continua agindo contra o povo brasileiro; a Polícia Militar prende o bandido e o Judiciário rapidinho, solta o marginal para voltar a infernizar o cidadão de bem. Você concorda com o Judiciário Brasileiro? Venha debater conosco, acesse o blog Desabafo País: http://desabafopais.blogspot.com Um abraço, Daniel Pearl.

Jens disse...

A RBS, além de mentir, também está fora da lei, no caso da Rádio Gaúcha. A verdade dói.
Já disse e repito: só nâo sei o que a turma do PT faz que ainda fica enchendo a bola desse grupo, concedendo entrevistas para seus veículos e profissionais tendenciosos. Na verdade eu acho que sei. Mas me arrepio só de pensar.
Um duplo abraçco.

Marcos Todt disse...

Adorei ver essas imagens, Cláudia.
Saudosa campanha...
Abraço,