21 de abril de 2007

Hollywood: licença para matar

Estão sendo feitas conjecturas sobre as motivações que levaram o jovem e cidadão estadunidense a descarregar suas armas contra os estudantes da Virgin Tech. Parece óbvio que o sujeito é um desequilibrado, como também é óbvia a inspiração que ele buscou: o herói-vingador-que-faz-justiça-com-as-próprias-mãos, bem ao gosto do lixo produzido por Hollywood.
Se alguém ainda tem dúvida, é só dar uma olhada nos modelitos que ele exibiu em suas fotos pousadas, um composé versão "civil" da SWAT que aparece nos sanqüinários filmes policiais estadunidense: colete à prova de balas, armas de diversos calibres, boné, luvas para tiro... Os rapazes da Columbine também adotaram este "modelito".
No mais, a vida é um video-game e vamos esperar o próximo massacre, enquanto os donos da mídia relativizam o papel da TV e do cinema na disseminação da violência.

Ronaldo

Para saber mais, leia no Diário Gauche: "Artigo" e "Artigo - parte 2".

3 comentários:

Lau Mendes disse...

Seja “justo”. A mídia não dissemina só violência. Tem contra-informação,idiotia,propaganda 171, escrotismo,idolatria,crendice,Waldics,.....tudo coisa boa . Tem até silicone quase 300 ml....bem,este item parece que há controvérsias.

Joan disse...

Menos juegos electrónicos y más libros. Menos armas y más libros. Menos "soy una superpotencia mundial" y más libros.

Jean Scharlau disse...

Muito bons! Vocês, Ronaldo, Bier, Santiago. Rir assim dói (duplamente no meu caso, pois a minha fantasia de sensação de segurança está
"pinicando") mas paga a pena, como dizia minha avó.