16 de abril de 2007

Quem mandou a Ford embora?

Nas inúmeras discussões e debates sobre democratização das comunicações, como exemplo de criação de subjetividades pela mídia, o clássico bordão "O Olívio mandou a Ford embora" é sempre citado, inclusive, pelo fato de que o PT e seus representantes ainda não resolveram esta questão perante o público e prossegue, até os dias de hoje, esta mentira e mistificação.
Assim, vale a pena reproduzir este artigo do Jean Scharlau na íntegra, escrito dia 10 de abril deste ano. Não se trata de uma tese, mas do resgate dos acontecimentos históricos que fez com que a Ford se instalasse em Camaçari, Bahia, e não no RS.
E então a Mídia de Montagem criou o Caso Ford
Já por duas vezes o Eugênio Neves propôs, a mim e a quem estiver aí para escutar, a seguinte questão."A mídia local sempre foi hostil às idéias de esquerda e aos partidos do campo popular, particularmente o PT. Mas o primeiro grande confronto entre a Frente Popular no governo do estado e a mídia foi na questão da Ford. [...] Não houve obstáculo material ou ético (esse nem se fala), que eles não transpuseram para atacar e desinformar, sinteticamente no infame e simplório bordão "O Olívio mandou a Ford embora", a manipulação e a mentira mais deslavada eram o "cardápio" diário servido à população pela mídia.Qualquer jornal, rádio ou televisão, de qualquer empresa, sempre continha uma dose de "veneno", inoculado pacientemente na opinião pública, no âmbito de uma campanha que tinha o claro objetivo de desgastar a Frente Popular. Não havia hora ou lugar onde essa hostilidade não se fizesse sentir. Essa campanha, apesar de primária, foi tão bem sucedida que o PT até hoje sente seus efeitos e ainda não conseguiu produzir um antídoto para neutralizá-la."
Para que ele não me proponha pela terceira vez a questão, tentarei respondê-la antes que o galo cante. No meu modo de pensar, a única resposta possível a essa falcatrua é a que se deve dar a todas as falcatruas - jogar a mais torrencial e límpida verdade sobre a sujeira toda. E a verdade, primeira e única neste caso, é: os que acusaram Olívio e o PT, com milhares de artigos xerox, centenas de papagaios de microfone e dezenas de reflexos de teleprompter, esses é que mandaram a Ford embora.
Sim, Olívio estava lá e teve a oportunidade, mas não tinha o motivo e nem há provas de que tenha cometido o crime. Sua motivação era exatamente a contrária - sabia que era importantíssimo politicamente para si e para a Frente Popular que a Ford se instalasse, de forma que o "negócio " ficasse "bom para os dois lados" - no caso, para a Empresa e para o Estado - como fizera com a GM.
Maigret então nos pergunta (retoricamente): - quem mais estava lá? Quem mais teve a oportunidade? E, mais importante: quem tinha motivo para querer matar a Ford no RS? E nos responde. Elementar meus caros Sherlockes - todos os meganhas, gorilas neo liberais do PSDB=PFL=PP=PPS=RBS. Estavam lá naquele momento histórico, construiram a possibilidade e engendraram o crime por dois principais motivos:
1 - seria uma profunda e ampla perda política para eles deixar o povo ver um governo socialista dar ao big business que arquitetaram, à menina dos seus olhos, muito melhor conclusão que eles - isso seria uma imensa vitória política da esquerda - a comprovação de que ela, além de tudo o mais, também é melhor negociante que a direita, coisa que depois o governo Lula viria a provar.
2 - Era indispensável criar um fato político negativo para o primeiro governo socialista pós Brizola no RS, preferencialmente assim, já no seu início - então tramaram o assassinato da Ford no RS e a culpa para Olívio e o PT.
Colocando a tramóia em marcha
Primeiro passo - impingir à vítima, diante da multidão, a culpa prévia: "O Olívio e o PT querem mandar a Ford embora!" - com acusações massivas e diárias.(Os "culpados prévios" foram pegos de surpresa, suponho, ou então subestimaram o inimigo, e então em vez de denunciarem os golpistas, em vez de acusá-los de que, eles sim, queriam criar o fato criminoso, apenas defendem-se, desmentem, negam, como se os outros tentassem somente criar uma impressão errada, uma acusação fantasiosa. E assim, quanto mais a fantasia crescia, mais os "prévios acusados" se defendiam e negavam e desmentiam... O objetivo dessa tática, agora parece óbvio, era preparar o terreno para que quando perpetrassem o crime (o que já tinham bem planejado) bastaria que dissessem: "- viram? Nós estávamos certos e denunciamos desde o princípio: era isso mesmo que o PT queria." E estariam livres da culpa, pois já tinham criado um "culpado" perante a multidão. ...E foi exatamente assim que fizeram. Uma técnica nazista, diga-se de passagem, muito bem assimilada pelo Judeu da Zona Sul. Pensando bem, já havia sido usada pelos fariseus há 2000 anos, contra O Homem que atrapalhara suas negociatas no Templo.)
Segundo passo - acionar seus comparsas nos executivos federal, estadual e no Congresso (onde eram ampla maioria) para mudar e criar as leis necessárias.
Terceiro passo - Oferecer à empresa muito mais grana e isenções fiscais para ir para outro estado - no caso a Bahia, do comparsa ACM.
Quarto passo - Conclusão com punhal de ouro: os carrascos daqui posariam de profetas e eternas vítimas e os do governo federal e baiano de salvadores da Pátria, argumentando que teriam impedido a Ford de ir para outro país.
Assim, Eugênio, a única resposta possível e correta a esses que seguem acusando o PT e Olívio de terem mandado a Ford embora é desmascará-los, pois há três possibilidades para eles: são os próprios criminosos, são cúmplices, ou são os trouxas que compraram, caríssimo, a versão em série, o Caso Ford da Mídia de Montagem. Em qualquer dos três casos é imperativo que se lhes aponte o dedo indicador e diga com direito a todas as letras:
- FORAM VOCÊS QUE MANDARAM A FORD EMBORA.

3 comentários:

Anônimo disse...

Gostaria de lembrar, que o urubu travestido de tucano, que é o PSDB, participou dessa falcatrua. A Rainha das Pantalhas inclusive votou pelo adiamento do mecanismo que concedia vantagens fiscais à Bahia, fazendo com que a Ford fosse embora. mas devemos também perguntar, quantas empresas escafederam-se daqui, no governo Rigotto? Por que esses articulistas de quatro patas da RBS não fazem essa conta? São um bando de urubus. E mais uma coisa, o PT dá asa ao URUBU, pois NÃO TEM A MÍNIMA IDÉIA DO QUE SEJA POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO.Basta ver os responsáveis pelo assunto. São boa gente, gente séria, mas quando tratamos desse assunto, o caráter deve ser "profissa", e se não se derem conta, vamos tomar no rabo novamente na prefeitura, e um "Gárgulas" a nos deverar será o Zambiazi. Escrevam...

Jens disse...

Já comentei no blog do Jean e repito aqui: o caso da Ford foi uma batalha midiática que nós perdemos. Alguns petistas não aprenderam nada com o episódio, haja visto os salamaleques com que mimam a mídia conservadora, na inútil expectativa de conquistar a sua simpatia. Não adianta: a briga é nós x eles. Sem tréguas.
Um abraço.

Carlinhos Medeiros disse...

Passei para desejar bom fds.

abs.