17 de maio de 2007

Ipanema e Aracruz em amores

Recebemos esta mensagem de três pessoas diferentes nesta tarde. Assim, optamos por disponibilizá-la ao nosso público leitor.
Relato programa Talk Radio, em 16/05/2007, patrocínio Aracruz. Triste época.
Ipanema e Aracruz em amores
No início do programa Talk Radio (94,9 Ipanema FM) Kátia Suman diz que entende que a Aracruz tem uma imagem ruim na sociedade, devido aos e-mails que recebeu. Chamou para conversa a “ambientalista” Mauren, que entende tudo de meio ambiente, a representante da Aracruz. Que lástima! O programa vai limpar esta imagem suja da Aracruz esclarecer a população as “dúvidas”. Afinal, “Aracruz: é o Brasil fazendo um bonito papel no mundo inteiro”.
Mais adiante chegou a Mary para reafirmar a posição da Kátia. Uma seqüência de afirmações a favor da empresa e sem ter um conhecimento maior do contexto foram feitas. Após uma visita a empresa e um bom patrocínio tudo ficou esclarecido para as radialistas:
“Aracruz tem capital 100% nacional!!”
“O pessoal (que contesta) ainda está no tempo da Borregard. (...) A água que sai da Aracruz é mais limpa do que a água do Guaíba. Sai mais limpa do que a água que entra.”
“Embaixo dos pés de eucalipto existem samambaia, butizais, (...) não é o deserto verde.”
Mais adiante para acalmar e domesticar @s ouvintes “Calma aí que as coisas não são bem assim. Tem tipo de controle e fiscalização. Há todo um cuidado, especialmente agora.” Falaram que quem contesta diz ter a “verdade absoluta”, mas logo orientaram ao público para parar de “repetir coisas sem ter um respaldo e ter pé na realidade”.
As radialistas afirmaram que viram a água e têm três tratamentos, que embaixo dos eucaliptos tem muitas plantas e não existe o tal deserto verde, o que levanta muitas dúvidas. Seriam os organoclorados e AOX visíveis a olho nu? As samambaias e butiazais são mantidos nas plantações de eucalipto para celulose? Será que já conheceram um plantio de eucalipto para celulose no pampa, com adensamento de árvores e corte em sete anos? Será que foram visitar os 200 mil hectares da Aracruz no Espírito Santo para ter um parâmetro para comparação? Será que vão entrevistar também os indígenas e quilombolas que tiveram suas terras tomadas pela empresa?
Agora um programa de responsabilidade social patrocinado pela Aracruz vai esclarecer a população dúvidas sobre o meio ambiente. Esclarecer que Aracruz é boa e pode comprar milhares de hectares no estado.
No correr do programa teve também a participação de um professor para dizer que o consumismo é bom. “Estes jovens que falam contra o consumo não sabem do que estão falando”. Concluindo sua fala diz que “Estas contestações, estas revoltas novas vai dar lucro”, professor Moreno www.sualingua.com.br. Muitas risadas. Segue o barco viva a coca-cola, a cerveja, a pizza e ao desperdício!
Tanta desinformação em um mesmo programa. Tanto comprometimento com uma empresa transnacional. É lamentável que isto esteja acontecendo. A mensagem final é que o sistema consumista que vivemos está bom e é isto aí pessoal, tudo acaba em pizza. Literalmente e lamentavelmente tudo acaba em pizza na Ipanema.
Seria pura ignorância ou má índole? Prefiro acreditar que é porque estão comendo muita pizza. Como ainda acredito nas pessoas, acredito que possam se informar mais para retornar sua função de geradoras de opinião ao invés de vendedoras de opinião.
É pena que a Ipanema FM se venda, perdendo sua irreverência, seu papel de geradora de opiniões, que acredita na possibilidade de respeito entre as pessoas e com o ambiente. O slogan da “rádio que não se vende” virou a "sintonia de Porto Alegre” ou “sintonia de Aracruz Alegre”. Na finalização do programa e entre uma conversa e outra a Kátia firma que “A imagem é tudo”.
Ana Paula Fagundes
Bióloga
Visite e contribua com o site: www.defesabiogaucha.org

7 comentários:

Pablo disse...

Pois é... Dia desses, aquela "comunicóloga" tascou o pau na TV Pública, encordoada pelo craca universal Nelsinho Motta, dizendo ser tal iniciativa um cabide de emprego, etc., em total desconhecimento de causa (ver BBC, PBS, Alzajeera, etc.), além de “esquecer” sua participação na TV, à época da Administração popular no Estado.
O "jabá", pra aquela sabichona, sempre é nas outras rádios, né?
Abraço a todos.

Gilmar Antonio Crestani disse...

Que barbaridade! A Kátia deve esta sofrendo a Síndrome do prof. Fischer, a anêmona que se dobra com as ondas. No caso, as ondas do mar verde da Borregard, agora com a Cruz que temos de carregar. Ela deve ter posto o dedo na tomada do Sarau Elétrico!!

Guga Türck disse...

Faz muito tempo que me recuso a ouvir Ipanema. Desde que o Eduardo Santos virou programador da rádio e começou a meter tecnorave nos sábados.

Rádio vendida total. Não podia ser diferente, é da Bandeirantes...

Jens disse...

Bleargh! Pelo visto a Aracruz comprou não apenas do cachorro, como também o abanar do rabo. Deprimente.

Mari Riccordi disse...

Bah,que merda!Eu ainda curtia um monte a Kátia e a Mary,mesmo já tendo abandonado a Ipanema a tempo!Mas não foi só dessa vez que elas me decepcionaram.Já ouvi elas falarem mt besteira.Só entendem de música mesmo.Que merda!

ZANDRO disse...

Então UM VIVA AO SOCIALISMO!!! VAMOS TODOS MORAR EM CUBA!!

Dialógico disse...

Zandro, não sei se retornarás ao blog. Mas não te esqueças, que a saída da crise do capital tem sido via estatização bem no formato comunista, porém, deturpada: socializasse as perdas, enquanto o lucro foi privado.
Não te faz de bobo aqui no blog.