16 de setembro de 2008

Flagrante bagaceiro e chinelão da ZMentira

Acabamos de ler no RSurgente, sobre a A visita do major da Brigada a Paulo Salazar: O major foi flagrado ontem à tarde na residência de Salazar, na Vila Cefer 1, em Porto Alegre, por uma equipe de jornalistas da Zero Hora. Indagado sobre o motivo de sua presença, o major respondeu: “A nossa função é verificar se ele foi ameaçado de morte e se há necessidade de proteção”.

Mas aahhh, seu!!! Quer dizer que houve "flagrante" de ZMentira??? Igualzinho aquele do Lair Ferst no shopping Total??? Mas que armação mais ridícula, mais pueril, mais sem imaginação.

Uma coisa precisamos admitir: ZMentira tem uma bela pesquisa de mercado e conhece bem o seu público consumidor, por que só um mentecapto leitor de ZMentira para acreditar num "flagrante" desses!!!

A ZMentira não consegue nem fazer um jornalismo factual e, agora, chama para si, os poderes da onipresença!!! Sempre tem uma equipe a postos onde os fatos acontecem. Dá até para suspeitar, que os fatos avisam antes que irão acontecer! Mas só para a RBS...

Armação das mais bagaceiras!!! A chinelagem é querer criminalizar o PT com uma "ameaça de morte", que parece ter saído da cabeça de um jegue da redação de ZMentira.

E tem gente que se presta, enquanto deveria ter o mínimo de compostura...

Definitivamente, o RS perdeu a vergonha na cara.

Um comentário:

Tati disse...

Isso me lembrou uma pérola de Diário Gaúcho do ano passado (pois é, eu leio todo dia porque é dos poucos que disponibiliza a lista de empregos do Sine, concursos de uma maneira mais rápida no seu site).

O factóide aconteceu poucos dias antes do Mendes virar graúdo. Um posto de saúde de Porto Alegre amanheceu com um cartaz, feito com uma folha de papel, com os dizeres "este posto está fechado por falta de segurança por tempo indeterminado". Os funcionários não apareceram para atender as pessoas (aqui entram 3 pessoas reclamando dos funcionários). Pela tarde o XYZ (não-me-lembro-o-cargo) Mendes apareceu, olhou a paisagem ao redor, e assegurou para a equipe de reportagem que havia segurança para o funcionamento do posto, e que ele abriria na manhã seguinte, tranqüilizando a população. A reportagem encerrou aqui, sem nenhuma palavra dos funcionários do posto, da secretaria da saúde, nadica.

Na hora que eu li aquilo saquei que era uma invenção grosseira para alavancar o porco. Triste