22 de setembro de 2008

O denominador comum da mediocridade geral

Fogaça está se constituindo, aos poucos, no denominador comum da mediocridade generalizada da feira eleitoral 2008. O eleitor médio está pensando (quando pensa no caso) da seguinte forma: ruim por ruim, deixa essa nabiça lá, mesmo! Ele é a materialização do desalento geral nas lideranças locais. Deve vencer as eleições em Porto Alegre, menos pela vontade da população e mais pela segunda lei de Newton, aquela que fala da estática, onde a aceleração dos sistemas é nula.

A Física, meus amigos e amigas, definitivamente não é uma disciplina de esquerda, mas quem ainda acredita que processos eleitorais, tal como praticamos, são um exercício de democracia e liberdade?
_________________
Ser pautado por "ruim, por ruim" dói no coração. Quem tem mais de 40 anos, consegue lembrar o que foi a ditadura civil-militar no Brasil, onde as crianças eram aterrorizadas para não falarem o que ouviram dentro de casa na rua, senão o "pai ia preso". Lutar pelo voto direto, pela liberdade de organização partidária, pela liberdade de manifestar o pensamento, parou nisso. A direita na Venezuela e na Bolívia bem demonstram o que acontece com a democracia, quando os votos são dados a quem não "interessa". No Brasil, idem, mas o apelo popular do Lula e sua política de conciliação, mais deixa a turma midiática-golpista de bunda de fora, do que oferece um perigo real à sociedade brasileira. Por enquanto.
Aqui, este "ruim por ruim" é a vitória da tese neoliberal do estado mínimo e a derrota da conscientização, naquilo que Paulo Freire compreendia como o processo da criticização da relação consciência-mundo. Onde não se estabelece a relação entre o voto e a vida que se deseja ter; quando se acredita nas versões dos fatos, todas abalizadas por "especialistas" que "mostram" como a vida é, sem problematizar quem, como, onde, quando, a serviço de que/quem estão estas pessoas, todas com visibilidade midiática, daí, fica difícil o início de qualquer debate que se pretenda sério, conseqüente.
O triste é ter que concordar com as palavras do Feil: a mediocridade como efeito da lei da estática na vida da gente.

4 comentários:

Sueli-Porto Alegre disse...

Eu sou uma pessoa limitada na escrita,mas não no entendimento.
Passo sempre por aqui e adorooooo!

Abraço em vcs do blog

Dialógico disse...

Sueli, leitura e escrita andam juntas: não te acanha!!! :-)
Beijo!

Alvaro Andrade disse...

Claudia: outras da Física que se encaixam perfeitamente no raciocínio do momento:

- Quando alguma coisa tem chance de dar errado, VAI DAR.

- Da onde menos se espera que saia alguma coisa, é DAÍ que não vai sair nada MESMO!

Abraços!

Will disse...

Sueli, pára com isso, menina!