3 de julho de 2009

Futebol

Bancando os saudosistas, lembrando as antigas histórias de futebol contadas pelo nosso pai, sempre carregadas de muitas risadas, tanto as do Brasil, como as da Argentina, preocupa-nos o que se tornou o futebol: trampolim para cargos eletivos e enriquecimento para empresários e dirigentes. Além disso, de jogo viril, transmutou-se para violência dentro e fora dos estádios.
Hoje, recebemos uma ligação para denunciar algo inusitado: sócios do Grêmio foram impedidos de entrar no estádio, pois os portões foram fechados às 21 horas. Não sabemos, ainda, se tal decisão havia sido comunicada à torcida antecipadamente e algumas pessoas foram surpreendidas por tal circunstância. O inusitado não está aí: além de não entrarem no estádio, torcedores e torcedoras apanharam da polícia! Ficaram de fora, não conseguiram assistir ao jogo da forma a que tinham direito e ainda foram agredidos pela polícia. Segundo o nosso denunciante, isso se deve à incompetência e descaso da Direção do Grêmio, que desrespeitou sua própria torcida!
É muito triste ver as novas gerações submetidas à raiva, à violência, à competição entre torcidas e entre si. O esporte e, no caso, o futebol, que deveria ser fonte de diversão e entretenimento, gozação saudável, brincadeiras de alto nível, termina por ser campo de batalha. Neste caso, o mais vergonhoso: entre o time e a sua própria torcida! Como disse nosso querido denunciante, que ficou de fora e não apanhou [teve mais sorte]: PA-LHA-ÇA-DA!
Não me admira que, num contexto desses, a torcida perca as estribeiras. Admira a falta de preparo da BM em lidar com multidões enfurecidas, sugestionadas pelo espírito competitivo altamente difundido pela mídia - "é guerra!". Admira a falta de visão dos dirigentes, o "gênio da lâmpada" que criou constrangimentos para os da sua própria casa [fico a imaginar, o que aconteceu aos torcedores do Cruzeiro...].
Admira a falta de preparo??? Estamos sendo generosos! Não se pode esperar menos que truculência, de uma BM com esse comando, que bate nos movimentos sociais, que bate em professor e professora, que bate em estudantes, que tem como comandante-em-chefe uma ex-governadora em exercício [por sinal, gremista].
Quanto à Direção, que diz levar a sério seu trabalho no clube: como lidaria com a ausência da sua torcida nos estádios e com a falta de pagamento dos sócios?????

Um comentário:

Hals disse...

A policia esta se especializando em nos "sem": Sem-terra, sem-teto, sem-libertadores... :-). Tirando fora a brincadeirinha, é um desrespeito com quem segura o time nas costas, no final das contas: os torcedores e, mais grave, sócios. Para mim é caso de processo ou algo semelhante. Realmente, o futebol passou de viril para viral, com essa corja de dirigentes.