11 de agosto de 2009

Não é agora que ela cai...


Está lá no Portal Terra: A Juíza Federal de Santa Maria Simone Barbisan Fortes negou o pedido de afastamento de Yeda Rorato Crusius do cargo, solicitado pelo MPF, por se tratar de assunto pretérito à assunção ao cargo e pela complexidade do processo. Avaliou que a permanência da Governadora não influenciará na produção de provas. A Juíza Fortes liberou a divulgação de parte do processo, menos as que dizem respeito às informações bancárias, financeiras e fiscais [hoje, de conhecimento público, uma vez que o processo vazou na rede mundial de computadores].

Era de se esperar. A situação institucional no RS é gravíssima. Aceitar o pedido de afastamento, agora, daria margem para uma luta judicial, cujo mérito seria o afastamento, não as suas razões. Além disso, baixaria o terror* no Estado. Agora, a alegação de este ser um tema pretérito foi um pouco longe demais, pois até o reino mineral já sabe que a Senhora Crusius continuou se beneficiando da fraude do Detran depois de eleita. Parece que a Juíza optou por uma justificativa mais "técnica", baseada no início da fraude, de fato, anterior ao Governo de Yeda Crusius [PSDB] - gestão do então Secretário de Segurança José Otávio Germano [PP], durante o Governo Germano Rigotto [PMDB, 2003-2006].

Yeda permanece um pouco mais em seu cargo no Executivo, escorada, evidentemente, pois não o exerce há muito tempo...

Imagem: "O Início" do Hupper


*Salve, Katarina!

2 comentários:

Miguel Grazziotin disse...

Hoje os principais arautos da Direita mancheteiam a decisão da juiza. Dando a entender que Yeda é inocente. O s "colunistas" atacam com a tese de armação e perseguição e o baile continua.
Para mim ainda não está claro porque a RBS continua no barco, talvez esperando ver para onde soprará o vento, sinal que a Direita ainda nao achou um candidato ao governo....

Hélio Sassen Paz disse...

V. meu comentário em http://rsurgente.opsblog.org/2009/08/11/alguem-roubou-algo-de-alguem-em-algum-lugar/#comments

[]'s,
Hélio