14 de outubro de 2009

Organizações Serra a Perigo!


Bateu o desespero nas Organizações Serra: o "grande irmão do norte" resolveu denunciar a partidarização da rede de televisão Fox News. E com pronunciamento da Secretária de Comunicação do Obama em cadeia nacional!

As OsS devem estar pensando: e se a moda pega por aqui??? E se mais algum político resolver falar o que até o reino mineral já sabe, mas quem tem mandato, ou cargo político jamais teve coragem de admitir em voz alta? Como fica a campanha antipt, antilula, antidilma?

A lamentar a falta de senso de oportunidade. Há anos denuncia-se a mídia corporativa como 1) inimiga de classe das esquerdas e/ou progressistas; 2) organizadora da globalização neoliberal; 3) e, por conseguinte, criminalizadora dos movimentos sociais.

------------------------------

O Brasil, em tempos de Lula, poderia ter avançado muito mais no que diz respeito à democratização das comunicações. Boa parte dos movimentos sociais que apoiaram a apoiam o projeto político do seu governo, tem, em seus quadros, nomes proeminentes nessa área desde a Assembleia Nacional Constituinte. Melancolicamente, algumas mesmas entidades, reunidas na Comissão Organizadora da Conferência Nacional de Comunicação [CON], garantiram uma representação de delegados e delegadas tripartite, com 40% da sociedade civil, 40% empresariado e 20% Poder Público, mais o quorum qualificado de 60% +1* para aprovação de temas polêmicos, uma relação matemática de ruborizar matemáticos...

*Mesmo com 5 entidades empresarias retirando-se da CON, restando a Telebrás e a ABRA, a primeira representante das empresas campeãs em queixas no Procon e a 2ª, do oligopólio midiático, o Governo fechou questão nessa proposta escabrosa. Saiba mais AQUI.

4 comentários:

César Bento disse...

A relação da mídia com os políticos é um caso complexo digno de estudo. Se o político flaa mal, leva um gelo e desaparece dos meios de comunicação de massa. Assim, não consegue exercer seu papel de representação. POr isso, mesmo que m pensa mal, evita falar mal da chamada grande mídia e ainda disputa espaço nas colunas políticas.
O maior problema é quando, além de evitar atacar constantemente a mídia alguns acabam se rendendo completamente e reforçando o dirigismo da opinião pública.

Dialógico disse...

De fato, César, há mecanismos que inibem mandatos e/ou cargos políticos de serem mais incisivos em denunciar o papel político da mídia corporativa e que, mais danoso ainda, para a esquerda ou progressistas, que é a pessoa que, abdicando de seu papel transformador, passa a lamber a mão dos representantes dessa mesma mídia.

No entanto, há pessoas que, pela sua reputação, poderiam ir mais a fundo, cutucar, problematizar alguns temas. Se todos e todas não podem pelas razões que citas, e que concordo, algumas podem e não o fazem, por que ainda não tem claro o fato de que a mídia age politicamente, que é parte orgânica do projeto político da direita. E isso é muito grave.

A Dep. Luciana Genro {PSOL] é uma dessas pessoas. Ela está preocupada em denunciar corruptos, com o impedimento da desgovernadora e aposta na mídia - essa mesmo! - para informar a população! Eu ouvi isso, ninguém me contou!

E ainda há os políticos do campo popular que se elegeram [elegem] sem que a gente tenha ouvido falar deles. Por que depois de eleitos por suas bases, passam a se preocupar em aparecer na mídia? Se isso acontece [e até aconteceu com a Adm. Popular na PMPA], é pq a base popular não é sólida.

Há muito a resgatar e/ou avançar no que diz respeito à participação popular.

Abraço!

César Bento disse...

COntinuo concordando com vc. É muito difícil fugir disso. QUem se elege sem grande mídia pensa em conseguir se eleger melhor da próxima vez. Aí, procura a mídia. OS meios "alternativos" não são fortes o suficiente para sustentar a comunicação de mandatos parlamentares no termos em que a disputa eleitoral se coloca nos dias de hoje.
QUe eu me lembre, quem falava o que pensava sem pedir licença eram o Adão Pretto e o Florestan. Entre os vivos.......... vou pensar mais um pouco, talvez me lembre depois.

César Bento disse...
Este comentário foi removido pelo autor.