12 de janeiro de 2010

Discurso de abertura da I CONFECOM



Celso Augusto Schröder fala em nome da Sociedade Civil na abertura da I CONFECOM.

3 comentários:

Hélio Sassen Paz disse...

Um cara que acha que só jornalistas diplomados e profissionais deveriam publicar notícias e opiniões balizadas na internet e que deveria haver um filtro para a qualidade e para a veracidade da informação na internet não me serve como representante.

Não merece o meu respeito. Ele está defasado.

Além disso, a mídia de massa não tem a importância que muitos dão a ela por uma série de razões.

Esse cara me cansa e não é exemplo.

[]'s,
Hélio

Carlos Eduardo da Maia disse...

Ele fala em nome da sociedade civil? Da onde cara pálida?

Dialógico disse...

Hélio, não há nenhum problema em discordar da opinião do Schröder, quanto à função do jornalismo e outros quetais. Conheço, de perto, as muitas formulações conservadoras do FNDC. Há muito a avançar.

Maia, é preciso entender em que contexto o Celso foi o representante da sociedade civil na fala da abertura. Um representante de cada segmento da Comissão Organizadora Nacional, a saber Poder Pùblico, Sociedade Civil e Empresários, foram escalados para discursar. No caso da sociedade civil foram duas pessoas - um homem [Schröder/FENAJ] e uma mulher [Rosane Bertoti/CUT]. Pelo Poder Público falou o Hélio Costa [além do Lula] e pelos Empresários, João Saade da Band.

Para relembrar: a CONFECOM foi tripartite, com igual representatividade entre sociedade civil e empresarial [40%, muito para o setor empresarial] e 20% de Poder Público.