20 de janeiro de 2011

A Copa do Mundo é nossa?

Copa 2014 em Porto Alegre: Para que e para quem?

Jornalistas, blogueiros e comunicadores populares ligados a movimentos sociais realizam no dia 20 de janeiro (quinta-feira), às 18h, no auditório do CPERS Sindicato (Av. Alberto Bins, 480), um debate sobre as mudanças e os impactos das obras da Copa do Mundo de 2014 em Porto Alegre (RS). O objetivo é informar as alterações que ocorrerão na Capital gaúcha para o evento mundial e analisar os seus desdobramentos, assuntos pouco abordados pela grande imprensa gaúcha até o momento.

As obras da copa a serem realizadas na cidade têm causado grande preocupação às populações, principalmente da periferia. No entanto, afetarão toda a população portoalegrense. Isso porque a maioria das obras prevêem a realocação de centenas de famílias pobres, que hoje moram em áreas valorizadas de Porto Alegre, em bairros carentes e com pouca infra-estrutura. E nem estão previstas obras de infra-estrutura para estes bairros. Já ocorrem também a pressão e a articulação de construtoras para ocupar áreas consideradas de alto valor imobiliário. São os casos do Morro Santa Teresa e da Orla do Guaíba.

OBRAS DA COPA SÃO PREOCUPAÇÃO NACIONAL

Estas questões são compartilhadas pela população e por organizações e movimentos sociais de todo o país. Nos dias 8 e 9 de novembro de 2010, foi realizado o seminário ”Impactos Urbanos e Violações de Direitos Humanos nos Megaeventos Esportivos”, organizado pela relatora especial da ONU para o direito à moradia adequada, Raquel Rolnik, a fim de debater os impactos das obras da copa. Em todas as capitais listadas para sediarem jogos da Copa do Mundo de 2014 estão previstos despejos e realocações de populações pobres, mega investimentos para construtoras e grupos privados e privatização de locais públicos. Ao mesmo tempo, não se constatam preocupações com melhorias na infra-estrutura dos bairros da periferia ou no dia-a-dia das pessoas.

A partir deste seminário, organizações, movimentos sociais e populações que serão atingidas estão organizando comitês da copa em todas as capitais a fim de debater as obras e reivindicar melhorias. Em Porto Alegre já há dois comitês formados: um na região do Centro e outro no Morro Santa Teresa.

Te convidamos a se informar sobre o que está acontecendo aqui na Capital gaúcha e a se inserir nesta luta. Participe!

DEBATE SOBRE AS OBRAS DA COPA DO MUNDO DE 2014 EM PORTO ALEGRE
Data: 20 de janeiro (quinta-feira)
Horário: 18h
Local: Auditório do CPERS (Av. Alberto Bins,480 9º andar)

Para dúvidas ou mais informações, entre em contato com Katia Marko (8191 7903).

2 comentários:

Marcelo Pereira disse...

Eu nunca fui a favor da realização da copa nesta época. Vivemos num tempo de transição econômica muito difícil e é uma péssima hora para organizarmos estes eventos, que poderão colocar o Brasil na fal~encia.

Falo mais sobre isto neste texto de minha autoria:

http://planetalaranja.blogspot.com/2011/01/o-cancelamento-da-copa-e-da-olimpiada-e_14.html

Movimento por um cais EXCLUSIVAMENTE cultural disse...

É verdade: o Brasil perdeu para a Holanda por jogar sujo, contra as regras. Esse modelo de futbol sem regras, selvagem, predatório, pode ser viril, mas é perdedor, não nos leva para a final. Fazer a construção da copa traçando uma avenida no meio do parque Marinha, é predatório com o meio ambiente, com a coisa pública. FAzer o projeto do cais assim, com um Zaffari ao lado do gasometro e dois espigões na outra ponta, é um insulto ao espaço que um dia era (é ainda?) público, o cais. Precisamos avisar o capitalismo local que jogue com regras, não iniciou ainda o vale tudo! Leia resistência ao projeto do cais no site do deputado Koutzii, ou bem no blog sobre o tema http://caismaua.blogspot.com/