27 de dezembro de 2006

"Descontentamento" e assepsia

Podem me chamar de paranóico, mas fica muito difícil de acreditar nesse pessoal da Globo, mesmo quando eles parecem ter boas intenções. Agora vem esse tal de Vianna com a sua carta desabafo, falando da cobertura que a Globo deu das eleições presidenciais. A mim parece muito mais um choro de quem está sendo demitido do que propriamente uma denúncia convicta sobre o estado de coisas com o qual ele não concordava. Dizer isso agora, quando já é passado, praticamente, não produz nenhum efeito, quanto muito, livrar a própria cara em relação ao comprometimento que teria com toda aquela lambança. O Luiz Carlos Azenha, com muito menos estardalhaço e se expondo, denunciou, em seu blog, todo o esquema das fotos dos dólares apreendidos. Isso correu pela Internet como fogo no rastilho de pólvora e foi feito no momento apropriado. Quanto tempo ainda o Azenha continuará trabalhando na Globo, é outra questão.
Também fica muito difícil de acreditar nesse clima de descontentamento que reinava nas redações da Globo, durante a cobertura das eleições. Hoje, com os recursos que temos, seria muito fácil fazer um contraponto à essa cobertura. Bastava reunir os tais "descontentes" e editar um blog ou coisa parecida com todas aquelas informações que a Globo censurava. Estamos falando de profissionais de imprensa, portanto de gente capacitada a lidar com informação. O que custaria a esses "descontentes", com acesso a informações de cocheira, reunirem-se de forma clandestina e editar um blog anônimo, por exemplo? Pois o Azenha não fez isso e, ainda por cima, abertamente?
Pensem na repercussão disso. A Globo passaria recibo e faria demissões em massa? No fundo, no fundo, parece que os tais "descontentes" estão muito bem contaminados pelo clima asséptico das redações da Globo e muito bem acomodados à sua tarefa burocrática de alinhar letrinhas. Falo isso com a autoridade de quem já se demitiu da imprensa corporativa por não concordar com o trabalho que me foi imposto. O sapo que eu teria que engolir era bem menor do que os tais "descontentes" engoliram na Globo.
Eugênio Neves
(Para ver a imagem, clique AQUI. Coisas do Blogger.com.)

Um comentário:

Lau Mendes disse...

Concordo com análise que falte convicção e sobre rancor.Mas por desconfiança de"tudo o que vem desta gente",tirando todo o rancor,resta muito de fatos que jornalistas/blogueiros independentes,denunciam todos os dias.Também não sei se a falta de"convicção"antes da carta,teria algum valor moral tolerável.Fato é que o cara esta"ferrado".Nenhum corporativismo aceita e não perdoa quém expõe sua mer.. em praça pública,principalmente o da mídia,é prejuízo na certa.E o ditado"se fez uma vez...",continua firmando o preconceito corporativo ou não.Penso que o saldo final é positivo para que continuemos aprendendo,"com passos de formiga e sem vontade",como diz a música,mas que continuemos.Abraço a vc.Eugenio e Cláudia.Obrigado pelo cartão,aliás,numa tela pintado a óleo,talvez o autor merecesse um "Di'"antes do nome.Uma feliz passagem de ano,e que 2007 seja só alegria.