11 de dezembro de 2006

Sobre os vivos...

A morte de Pinochet evoca a presença do facínora bem "vivinho" do início do Século XXI: George W. Bush. Imperdível a leitura da carta de Michael Moore no blog Biruta do Sul, que inicia com uma provocação:

Amigos,

Hoje (27/11) marca o dia em que permanecemos no Iraque mais tempo que aquele que levamos para combater na Segunda Guerra Mundial.


É isso mesmo. Nós fomos competentes para derrotar a Alemanha Nazista, Mussolini e o Império Japonês inteiro em menos tempo que a única superpotência mundial gastou para tentar tornar segura a estrada que liga o aeroporto de Bagdá ao centro da cidade.

Como americano, Moore tem àquilo que chamo de "escorregada" ideológica, ou seja, acredita piamente que os políticos democratas são muito diferentes dos políticos republicanos, mas isto não invalida as palavras certeiras da sua carta. Chomsky nos lembra, que o conceito de "guerra preventiva" surgiu com Bill Clinton.

Senti uma ausência em sua missiva: a referência à Guerra do Vietnã. De qualquer sorte, leitura imperdível em tempos que o mundo necessita, e muito, de uma guinada efetivamente democrática:

- versão em português.

- versão original.
Eugênio Neves - 14/12/2000

2 comentários:

Claudia Cardoso disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
joice disse...

Mais do que isto, Cláudia.. não podemos esquecer de que Michael Moore é apenas um representante/defensor da outra direita estadunidense. Nada além disto. Apesar do tom panfletário e "revolucionário" do seu filme "Fahrenheit 11 de Setembro", se formos observar com atenção aos detalhes, o pseudo-documentário tem um formato autoritário e conteúdo bem conservador.