3 de fevereiro de 2007

Desde Acebal, 1 de Febrero, das 19h55min às 20h

Aqui, em Acebal, pueblo da Grande Rosario onde estou, no horário argentino, as luzes se apagaram, gracas a Yanina, filha de 23 anos de minha amiga. Aliás, gosto muito das suas intervencoes, quando conversamos. No ano passado, em 5 min de conversa sobre a mídia brasileira - sem exageros da minha parte - 5 min, lascou "¡mas esto és monopolio!".
Na terca-feira passada, enquanto nos dirigíamos para Rosario, me perguntava sobre o buraco do metro em Sao Paulo. Quando comecei a lhe explicar, num portunhol compreensível, Yanina ¿"mas como puede um engenheiro no zelar por su nombre?".
É, Yanina. A ganancia da elite brasileira se impoe, no mínimo, ao bom senso: simplesmente, ele nao existe como forma de auto-preservacao que seja.
Assim que, num pueblo de 2 ou 3 mil habitantes, fizemos parte da campanha mundial, da qual vi as imagens de Paris no escuro pela TV.

2 comentários:

Tondo Rotondo disse...

He vist el teu comentari al blog de Carlinhos medeiros i -des de Catlunya- vull enviar un petó molt foirt a porto Alegre!!

César disse...

No escuro, mas vendo claramente. Postei no Animot.