19 de junho de 2007

Sobre a reestatização da Vale do Rio Doce

Os Democratas quebraram a cara: na pesquisa encomendada pelo partido, o resultado foi pela reestatização da Vale do Rio Doce. Por que será que tem ex-presidente muito quietinho? O artigo abaixo foi nos enviado por correio eletrônico.
Maioria dos brasileiros é a favor da reestatização da Vale, diz pesquisa
Em pesquisa com 2 mil pessoas, 50,3% disseram ser a favor da retomada da empresa pelo governo, ante 28,2% contrárias à medida. Instituto realizou a sondagem a pedido do DEM, o antigo PFL. Plebiscito popular sobre a Vale acontece em setembro. A reportagem é de Antonio Biondi para a Carta Maior, 15-06-02007.
A maioria dos brasileiros é a favor da retomada da Companhia Vale do Rio Doce pelo governo federal. Segundo pesquisa realizada entre os dias 19 e 22 de maio pelo Instituto GPP – Planejamento e Pesquisa, 50,3% dos brasileiros são favoráveis à retomada da empresa, que vem acumulando seguidos recordes em seus lucros, faturamento e investimentos. Outros 28,2% são contra a medida. E 21,5% disseram não saber responder.
De acordo com a assessoria de imprensa do instituto, a pesquisa ouviu duas mil pessoas em 17 Estados brasileiros no período citado. A margem de erro máxima é de 2,2%, para cima ou para baixo dos resultados obtidos. E o principal corte da pesquisa diz respeito à idade, de forma que todas as pessoas ouvidas possuíam 16 anos ou mais.
Carta Maior teve acesso aos dados completos, e pôde constatar que a pergunta era simples e direta, apresentada da seguinte forma: “agora gostaria que dissesse se é a favor ou contra da seguinte medida: o governo retomar a Vale do Rio Doce”.
Nas regiões, a pesquisa apontou que o Norte do Brasil é onde existe maior apoio à medida: 62,5% dos entrevistados são favoráveis à retomada da empresa. No Sul, o número fica em 47,6%, ante 49,7% no Sudeste, 37,3% no Centro-Oeste e 52,9% no Nordeste. Já os 28,2% contrários apontados pela pesquisa são 20,3% no Sul, 30,5% no Sudeste, 24,2% no Centro-Oeste, 31,1% no Nordeste e 24,6% no Norte.
A quantidade dos que não souberam responder é maior no Centro-Oeste (38,5%), ante 32,1% no Sul, 19,8% no Sudeste, 16,0% no Nordeste e 12,9% no Norte.
Por fim, a pesquisa aponta que o apoio à retomada da empresa é maior nas regiões metropolitanas do país (54,1%) do que nas capitais (52,5%) e interior (47,6%). Nas capitais, 29,2% são contra a medida, número próximo aos 29,4% nas regiões metropolitanas e 27,3% no interior. Os números apontam que no interior é maior a quantidade de pessoas que não souberam responder: 25,1%, ante 18,3% nas capitais e 16,5% nas regiões metropolitanas.
As informações reafirmam a avaliação crítica dos brasileiros em relação a diversos aspectos da política de privatizações empreendida no país nos últimos anos. Segundo analistas, durante as eleições gerais do país em 2006 essa agenda se mostrou rejeitada por boa parte da população. E agora, ironicamente, tal rejeição é reafirmada com a questão sobre a Vale em pesquisa encomendada justamente por um dos principais agentes da política de privatizações, o DEM (Democratas), antigo PFL.
A pergunta integrava levantamento de consumo interno dos Democratas, voltado a obter dados sobre a conjuntura política do país. Segundo nota publicada na coluna da jornalista Mônica Bérgamo na Folha de S. Paulo de quinta-feira (14), “o resultado, meio escondido entre várias outras perguntas do instituto GPP, está deixando deputados e senadores que tomaram conhecimento dos números de queixo caído”.
Além de ter gerado surpresa entre os parlamentares, a pesquisa também trouxe mais energia para os movimentos sociais e entidades do país que preparam para setembro deste ano a realização de um plebiscito popular sobre a privatização da Vale do Rio Doce, ocorrida em 1997. A empresa foi vendida à época por cerca de R$ 3,3 bilhões e hoje já possui valor de mercado de quase R$ 100 bilhões.
Alegando desde uma possível sub-avaliação no preço da empresa a problemas jurídicos no processo, inúmeras ações questionam a validade do leilão na Justiça, onde ainda aguardam julgamento, mais de dez anos após a privatização.

18 comentários:

Jens disse...

Quaquaquaquá! Será que o Onyx vai comentar o assunto?
***
Falando em DEM (de "demonhos", como diria minha avó): ouvi dizer que estão fazendo um concurso para escolher os candidatos às próximas eleições. Só passa quem for jovem e bonito. (É sério). A direita se repagina. Vem aí uma nova geração de larápios.

Carlos Maia disse...

A Vale fatura alto agora, porque aplicou um modelo de gestão privada e que está livre das burocracias e das politicagens do estatismo. Se a Vale fosse estatal não seria tão eficiente e não faturaria o que hoje fatura. E o Estado não arrecadaria tanto imposto. Simples como água morna. O resto é pura demagogia da mídia manipuladora do Carta Maior. Afinal, quem acredita no Carta Maior?

Jens disse...

Ué, a Carta Maior inventou a pesquisa?

Claudia Cardoso disse...

Pois é, Jens...

Carlos Maia disse...

Carta Maior manipula e faz alarde excessivo em torno do resultado das pesquisas encomendada pelo DEM. É a mesma coisa que fazer uma pesquisa, vc é a favor da Alca? Vc é a favor da Alba? Vc tem saudades do monopólio estatal das teles? A fulana foi a mulher mais bonita do século passado? Não há como se dar a devida credibilidade a esse tipo de pesquisa, como fez Carta Maior. Pinçar um assunto que as pessoas comuns têm, infelizmente, pouco conhecimento para fazer alarde é sim manipulação. E a mídia alternativa de esquerda manipula e desinforma muito mais do que a grande mídia. Infelizmente.

Jens disse...

Então tá. Fica combinado assim: quando o resultado não interessa a pesquisa não tem credibilidade - as "pessoas comuns" têm pouco conhecimento do assunto. Mas vale para todos, à direita e à esquerda.
Ou não?

Anônimo disse...

Eu acredito! E pelo jeito, o tal do maia acredita na grobo, na vejaqmentira e no imprensalão canalha. Então este pobre desinformado não veste nem as chuteiras de quem lê Carta Maior...A Petrobrás está aí maia! Para desmascarar a farsa neo-liberal, que tu repete como papagaio, ou tucano? Seguem para os desinformados como tu, algumas VERDADES sobre o maior assalto praticado à uma nação na era moderna, leia-se : roubataria da Vale do Rio Doce, levada a cabo pela martelada criminosa e lesa-pátria do então ministro serrassuga, o famoso Presidente José Serra, lá vai:- A CVRD foi privatizada, em leilão, no dia 6 de maio de 1997, na cidade do Rio de Janeiro por R$ 3,3 bilhões. O lucro líquido da empresa, apenas no segundo trimestre de 2005 foi de R$ 3,5 bi.. À época da privatização o patrimônio da Vale já valia R$ 92,64 bilhões; 28 vezes o valor pela qual foi vendida.. Em 8 de maio de 1995, a Vale informara à SEC (Securities and Exchange Comission), entidade que fiscaliza o mercado acionário nos EUA, que suas reservas lavráveis de minério de ferro em municípios de Minas Gerais eram de 7,918 bilhões de toneladas. No edital de privatização, foi mencionado só 1,4 bilhão de toneladas. Só aí fomos roubados em "módicas" 6,518 bilhões de toneladas. A Vale informou no caso das minas de ferro da Serra de Carajás que suas reservas totalizavam 4.970 bilhões de toneladas. Porém, o edital de privatização mencionou um número menor: 1,8 bilhão de toneladas. Uma subestimação(roubo) de 3,170 bilhões de toneladas. A avaliação do patrimônio da empresa foi feita pelo Banco de Investimentos Merrill Lynch, um dos principais grupos financeiros monopolistas dos EUA. A Merrill Lynch adquirira, em 1995, a empresa Smith New Court, principal controladora de outra corretora, a SBH (Smith Borkum Hare). Por sua vez, a SBH era corretora da Anglo American, uma das empresas participantes do leilão da Vale. Outra violação da lei, nesse leilão, foi o da transferência de milhões de hectares à propriedade dos acionistas estrangeiros da empresa, mediante a venda no Exterior dos títulos da Vale, quando a legislação impede a alienação de mais de dois mil hectares a alienígenas (e que alienígenas!) sem a anuência das Forças Armadas e do Senado da República. NIRDO

Jens disse...

Oi Cláudia.
Não vou falar da Vale - o anônimo, acima, matou a pau.
Vim para de trazer o meu abraço solidário. Não fique triste pelo perda da Libertadores. A vida continua. (E pode piorar: domingo tem GreNal - tremei, tremei (hehehe...)
Um abraço.

Carlos Maia disse...

Não vejo nenhum motivo para uma empresa como a Vale ser uma estatal. Isso é bom apenas para o político de plantão que coloca seus aliados e sua militância no empreguinho público, como sempre aconteceu neste Brasil e para as viúvas do estatismo. O que se discute na privatização da Vale é a avaliação da empresa, como se ela tivesse apenas ativos. Aloisio Biondi que escreveu o Brasil privatizado fez muito alarde sobre a privatização das teles, mas ele esqueceu que essas empresas têm grandes passivos, sobretudo trabalhistas e previdenciários e também não considerou que a lei e os editais de licitação determinavam investimento pesado para o fim da universalização e continuidade de um serviço que é público. Isso é investimento, isso é dívida e isso deve ser considerado numa licitação. A Vale não vai ser reestatizada porque não vale a pena para o Estado (que muito imposto recebe da Vale privada, muito mais do que quando estatal) reestatizar e, ainda, pagar uma vultosa indenização.

Anônimo disse...

Como é? Pagar vultuosa indenização? Quem tem que pagar, e muito, são os amigões do serrassuga e do fhcorrupto, os que receberam de mão beijada a doação da Vale do Rio Doce!! Só pra começo de conversa, pelo que valia na época e o valor "simbólico" pago(pra mascarar a doação), estes crápulas teriam, ou melhor, TERÃO que prestar conta da módica quantia de 90.000.000.000,00. Quem deve 90 Bilhões não tem direito à indenização, deu pra entender?

* Já que tocou nas teles com informações capengas, pesquise que saberá que a imoralidade neste crime foi tão descarada que o passivo da mãe Embratel ficou pra nós pagarmos, NÃO ENTROU NO ASSALTO! Compraram tudo, a preço de banana, e ainda por cima levaram só o filé!
* Seguem tópicos do artigo escrito pelo Luiz-Alphaplus :
"Para que não caia no esquecimento, vamos registrar como foi o "sucesso" da privatização da Telefonia.
-As operadoras de telefonia são as campeãs de reclamações nos PROCONs.
Essas reclamações são retratos do desmantelamento da telefonia no país.
-O acesso à telefonia móvel aumentou muito. O número de usuários aumentou muito.Mas, o que aumentou foi o número de usuários da telefonia móvel. O número de usuários de telefonia fixa reduziu
-Desde que as operadoras atuais assumiram, o único objetivo é lucrar. Lógico, há algum investimento, afinal as operadoras não podem parar, ou matam a "galinha dos ovos de ouro".
Elas fazem de conta que estão preocupadas com a qualidade do serviço prestado. (e a Anatel, órgão fiscalizador, faz de conta que controla a qualidade).
-E os equipamentos de telefonia? Continuam os mesmos de 8 anos atrás, com poucas alterações.
Ah! Mas as operadoras investiram muito dinheiro em rede de comoputadores. Sabe para quê?
Para dar melhor capacidade de serviço à área de faturamento. Essa não foi terceirizada.
Você entende essa bagunça em nossas contas telefônicas?
Tudo terceirizado, como no modelo da cratera do metrô de SP e das crateras nas rodovias em todo o país.
Se sua conta apresentou algum erro e você tem de ligar para o Call Center, caia na real. Infelizmente, você caiu na cratera da telefonia brasileira." Grt Nirdo

Carlos Maia disse...

Pergunte ao povo brasileiro se ele tem saudade do tempo do monopólio estatal das teles. O vivente tinha de esperar anos para ter um telefone em casa, porque o serviço era ineficiente, burocratizado e servia ao político de plantão que colocava na estatal seus amiguinhos e militantes. Já pensou se em tempos de mensalão, as teles fossem estatais? Que festa, hein?
E mais, Telemar e Brasil Telecom são hoje controladas pelos fundos de pensão ....... das estatais. Que mágica!!!! Privatizou-se para as estatais tomarem conta das empresas privatizadas. As empresas de telecomunicações são hoje gestoras de prestação de serviços.Todo o serviço praticamente é terceirizado. O reacionarismo sindical é contra sob o argumento da precarização, mas, em contrapartida, aumenta significativa o número de empregos gerados pelas terceirizadas; faz circular capital ( e isso é muito bom) e ao mesmo que diminui o emprego gerado pelas concessionárias que ficam apenas na gestão. Não gosto de generalizar, porque banaliza a discussão. Mas uma coisa é certa, o estatismo faz e fez mal ao Brasil. O estatismo serve ao corporativismo sindical e ao político que quer empregar a militância.

Claudia Cardoso disse...

Nós, no RS e, em espacial, POA, estamos vivendo o que é a política de estado mínimo, ainda que a última privatização tenha ocorrido no governo Britto: educação, transporte e saúde estão em petição de miséria. Em compensação, os terceirizados de tais governos, ou as parcerias pública-privadas engordam as burras com dinheiro público. O Sérgio Motta, sim o Serjão, dizia não conhecer 1 empresário paulista que sobrevivesse sem dinheiro público. Então, precisamos "desestatizar" o privado, para que possamos ter serviços públicos de qualidade. Que, em última instância, é o que nos socorre, quando as privadas caem fora de suas obrigações e competências! Interessante que a estatização do privado, via benefício ou renúncias fiscais, nunca é pauta para quem defende o estado mínimo. Quanto à telefonia, sim, era difícil há 25 anos atrás ser dono de uma linha telefônica. Mas esquece-se que a indústria da comunicação é dinâmica. Quem diria que a classe C e D, em junho de 2007, estivesse adquirindo computadores neste país, quando em 1995 só os ricos o possuíam? Além do mais, privada não é sinônimo de qualidade, competência e probidade. fala-se muito nos políticos corruptos, mas e os corruptores quem são? A PF está prendendo um monte deles!!! Empresários que, para sobreviverem, precisam de maracutaias governamentais para andarem de pé, pois não teriam competência para concorrerem com seus pares, se largassem mão de seu eterno financiador - o estado brasileiro.

Anônimo disse...

MAIA, TU SÓ DIZ ESTULTICES! QUEM CONTROLA A TELEMAR? FUNDOS DE PENSÃO DAS ESTATAIS? TU É DESINFORMADO PARA DIZER UMA ASNEIRA DESTAS OU É DESCARADO MESMO? QUEM CONTROLA A TELEMAR É O GRUPO DO IRMÃO DO TASSO, DO CARLOS JEREISSATI! ENTENDEU OU QUER QUE DESENHE? SE INFORME ANTES DE FALAR BESTEIRAS. ME DIGA POR QUE A PETROBRÁS AGORA FUNCIONA? POR QUE NÃO AFUNDAM MAIS PLATAFORMAS MATANDO TRABALHADORES? POR QUE NÃO TIVEMOS DESASTRES ECOLÓGICOS COMO NO TEMPO DOS TEUS PARES? RESPONDA COM ARGUMENTOS DECENTES, COM DADOS CONCRETOS NÃO COM ESTA CONVERSINHA DE PAPAGAIO DE VEJAS E GROBOS!! PRIVATIZAÇÃO SIM, DOAÇÃO JAMAIS! *****NOS TEMPOS QUE AS TELES ERAM ESTATAIS É QUE TINHA MENSALÃO, TINHA PROERZÃO, TINHA SIVANZÃO E TINHA OS BILHÕES SURRUPIADOS NA ROUBATIZAÇÃO, TINHA O GOLPE DO REALZÃO, MENDONÇÃO, SERJÃO!!! AH, TINHA LISTA DE FURNAS, NOSSACAIXA2, COMPRA DE VOTOS DA REELEIÇÃO, PASTA ROSA, PRECATÓRIOS, DNER, FONTE-CINDAM, CACCIOLA-CHICO LOPES, ETCETCETC. ENTENDEU OU QUER QUE DESENHE? Nirdo

Jens disse...

Estado mínimo? Sim, com uma ajudazinha providencial do BNDES nos momentos de difículdade. Ah, que delícia o capitalismo sem riscos.

CONTEÚDO PRINCIPAL DE LEU LEUTRAIX disse...

eu sou o leu leutraix do blog www.leuleutraix.blogspot.com ou totalmente contra a estatização da vale do rio doce pq ela seria apenas para servir o bel prazer dos "vermelhos" e de toda a corja do pt para fazer cabides de empregos se hoje a empresa dá lucro é porque ela não está sendo um cabide de emprego de lula eu sou anti-´t anti lula a vale do rio doce,hoje basta ser estatal apenas 3 empresas por serem estratégicas a petrobrás o banco do brasil e a caixa são empresas estratégicas que não podem passar para a iniciativa privada se hoje todo mundo tem um celular é graças a fhc que privatizou a eletrobrás se não seria hoje apenas um gigante brancoLEU LEUTRAIX
Não existe essa nação inimiga dos USA que prospere. Cuba, Coréia do Norte, Brasil, Venezuela e Irã têm governos anti-americanos. E seus povos vegetam na miséria. O anti-americanismo é receita 100% certa para a miséria de um povo que se deixa governar por um anti- americano.RESPEITEM OS U.S.A. RESPEITEM ISRAEL E JUNTOS NÓS VENCEREMOS O TERRORISMO LEU LEUTRAIX APOIADOR INCONDICIONAL DOS USA E DE ISRAEL leuleutraix@gmail.com´por leu leutraix leu leutraix

CONTEÚDO PRINCIPAL DE LEU LEUTRAIX disse...

apenas os analfabetos apóiam a estatização da vale o norte e o nordeste só tem nordestinos atrasados que com uma bolsa"esmola"de 15,00 acham que estão no paraíso o povo nordestino e da rigião norte basta "dá um copo de cachaça"que eles vendem o voto para esses !vermelhos" que tomaram o planalto o pior presidente que o brasil já conheceu lula,"não vê nada,não sabe de nada" e seus "companheiros"entregando as refinarias da petrobrás quase de graça para a bolivia,fhc pelo menos vendia no "martelo" quem desse mais lula vende no "quem dá menos" tái aí a petrobrás como estatal compra 2 aparelhos por US$100 milhôes de dollares gasta outros US$100milhões de dollares e depois vendem por US$112 milhçoes perdendo US$80 milhões que infeslismente os acionistas da petrobrás terão de engolir esse "bagaço de cana" por leu leutraix do blog www.leuleutraix.blogspot.com

Claudia Cardoso disse...

Uma coisa é apoiar EUA e Israel.
Mas outra coisa é DESTRATAR brasileiros e brasileiras COMO TU. Nestas horas, entendo o que é moderar comentários. Se for para destilar teu preconceito contra os teus iguais, não venha mais aqui.

Eugênio disse...

O FHC vendia no "martelo"? Vc quer dizer ele dava no martelo. É só ver o preço "pago" pela Vale!
No mais, continue rastejando incondicionalmente para os EUA e ISRAEL. Tão precisando de uns caras assim como tu lá no Iraque. Mas olha lá, q os judeus ñ gostam d racistas. Entre gente como vc e os "cachaceiros" do nordeste, sou mais eles.