6 de agosto de 2009

Jornalismo chulepento*

Zero Hora conseguiu marcar mais um tempo, na sua tradicional ambiguidade, quando ela não pode apoiar, descaradamente, os seus parceiros ideológicos. Produziu uma capa como essa acima, que não diz absolutamente nada! Falta "algo" que qualifique essa "Ação"; falta a informação principal: ação civil de improbidade administrativa. É isso que necessita ser informado à população.

Agora, como seria a capa do jornaleco da Azenha, se as personalidades políticas envolvidas fossem desafetos do Grupo RBS?

A manchete, nem de longe, tem a contundência que o momento político exige. Por isso, iludem-se os que pensam, que basta uma CPI, para que tudo se resolva no RS. O que veremos, daqui para adiante, por parte da mídia, será o mesmo trabalho de desqualificação da CPI da Corrupção, tal qual o realizado na CPI do Detran.

A abelhinha dos melífluos sabores, na coletiva, já deu o tom, de como a RBS irá se comportar. Insistia, junto aos Procuradores, para que liberassem informações, a fim de estabelecer o contraponto. Ora, quer nos parecer, que quem fará esse contraponto é a defesa dos nove acusados.

Ou a RBS já estaria fazendo parte da equipe de defesa dessas/desses acusadas/acusados?

É por isso que, ao mesmo tempo em que se faz denúncias contra o governo Yeda Crusius, os deputados também precisam esclarecer o papel que a mídia desempenhou nesses episódios todos. Denúncia para isso não falta. É preciso dar consequência ao que está registrado na página 56 da denúncia da Operação Rodin, onde o MPF aponta a utilização de jornalistas para criar uma imagem positiva da quadrilha que desviou mais de 40 milhões de reais do Detran.

*Sil, no RSurgente.

2 comentários:

msilvaduarte disse...

Excelente.

A manchete deveria ter sido, no mínimo, "Yeda acusada de improbidade".

Lucas disse...

e por estas, e outras, que os jornalista ou "jornalistas" perderam a credibilidade.