20 de fevereiro de 2009

PSOL coloca Yeda no paredão

Com os acontecimentos da tarde de quinta-feira, alguns fatos começam a se alinhavar. Há duas semana, notamos que o PSOL está com a campanha, através de cartazes, com os dizeres "PSOL exige: Fora Yeda". Ironicamente, olhávamos aqueles cartazes e nos perguntávamos: com que povo???

Agora, depois da denúncia do PSOL, tudo leva a crer, que o partido já estava em contato com o material das denúncias. É difícil de acreditar, que alguém possa fazer tais acusações, ricas em detalhes, assim do nada.

Uma fala, em particular, chamou-nos atenção. Foi a declaração da Dep. Luciana Genro, sobre a necessidade que sentiram de fazer esta denúncia, antes que mais uma testemunha desaparecesse. Segundo consta, essas denúncias seriam feitas no dia 5 de março, após o depoimento de Marcelo Cavalcante, encontrado morto em Brasília em circunstâncias ainda não esclarecidas.

Isso nos traz de volta à campanha do PSOL que já estava na rua. Parece mesmo que o partido sabia de alguma coisa e quis se antecipar aos acontecimentos. Não teremos mais aquele depoimento, mas as denúncias estão aí.

À desgovernadora, agora, só cabe entrar com um processo judicial nos moldes do que seria movido contra a agência e os sindicatos responsáveis pela campanha "A face da destruição". Se esta campanha causou "estrago" na imagem da Yeda, o que dizer das denúncias do PSOL?

Por outro lado, se a Yeda realmente processar o partido, terá ele as provas para sustentar as acusações? Ou os integrantes do PSOL viram as tais provas, mas não as tem em seu poder? Estariam contando com a boa vontade do/da informante em disponibilizá-las na hora necessária? Sim, porque, apesar das acusações detalhadas, ninguém condenará a Yeda sem a apresentação dessas provas. Foi dito que as tais provas foram produzidas pelo Lair Ferst. No entanto, seu advogado já disse que solicitará tais provas para usá-las na defesa de seu cliente. Já começou o jogo de empurra. Tomara que o PSOL tenha, realmente, essas provas.

Nunca é demais levantar esse tipo de dúvida, não por suspeitar que as pessoas estejam agindo de má fé, mas, sim, por pura ingenuidade. Em se tratando da nossa esquerda, tudo é possível. Lembram-se da compra do dossiê pelos "aloprados"?

Fotos: Dialógico

4 comentários:

Milton Ribeiro disse...

Também acho que Luciana e Ruas não entrariam nesta canoa se não soubessem da existência das provas. Só que elas não estão com o PSOL e deve ter gente louca para saber onde estão e incendiá-las (ou matá-las). Aguardemos.

Roberto disse...

É um tiro de 12, bem no peito do tucanato! E agora Serra? E agora Artur Virgílio? E agora Sérgio Guerra?

César S. disse...

Tuitei isto hoje: http://twitter.com/cesarshu/statuses/3151379826

Dialógico disse...

Legal, César!
Estamos na luta!